vBulletin statistics

Quarta-Feira, 5 de Junho de 2013

100% dos políticos portugueses inquiridos consideram a atividade de lobbying insuficientemente regulamentada

88% dos decisores nacionais inquiridos reivindicam a necessidade do registo obrigatório dos lobistas, percentagem bem superior à media europeia que é de 53%. Estes são alguns dos resultados do estudo sobre a eficácia do lobbying na Europa elaborado pela Burson-Marsteller em conjunto com a Lift Consulting.

Um estudo sobre a eficácia do lobbying na Europa elaborado pela Burson-Marsteller, empresa global líder em relações públicas e consultoria de comunicação de que a Lift Consulting é a afiliada em Portugal, revela algumas diferenças interessantes sobre as atitudes dos políticos e responsáveis de topo da União Europeia e dos 19 países europeus, nomeadamente em relação a aspetos como a natureza dos bons e maus lobistas, a necessidade de mais regulamentação do lobbying ou a utilidade dos social media como um canal de influência.

Este estudo da Burson-Marsteller, que vai já na sua 5ª edição, apresenta como aspeto preponderante o facto de 9 em cada 10 inquiridos concordarem com a ideia de que “o lobbying ético e transparente ajuda no processo de desenvolvimento de políticas”, a que acresce a ideia de que a maioria dos grupos lobistas é vista como transparente, principalmente as associações de comércio, as associações profissionais, as empresas, os sindicatos e as ONGs.

Refira-se que o vice-presidente da Comissão Europeia, Maros Sefcovic, que escreveu o prefácio do estudo e participou na sessão pública da sua apresentação, afirmou que “o lobbying faz parte do jogo. Temos que ter a certeza de que ele é feito de forma transparente e ética. O Transparency Register definido pela Comissão Europeia e pelo Parlamento Europeu serve precisamente esse propósito. Mas são ainda necessários esforços dos profissionais do lobbying – esforços que eu aprecio e encorajo”.

No mesmo sentido se pronunciou Jeremy Galbraith, CEO da Burson-Marsteller EMEA, ao sustentar: “É reconfortante ver que, apesar de alguns escândalos com lobistas de alto perfil, o lobby transparente e ético é o considerado como normal e é altamente valorizado pelos decisores políticos em toda a Europa".

 

A visão portuguesa

Outro aspeto preponderante que sobressai deste estudo diz respeito à opinião maioritária de que o lobbying ainda não é suficientemente regulado. De facto, 56% dos inquiridos pronunciam-se neste sentido, mas no caso particular de Portugal as respostas são 100% reivindicativas de uma efetiva regulamentação da atividade.

Quanto ao imperativo do registo obrigatório dos lobistas, 53% consideram-no desejável nos seus países de origem, mas as respostas referentes a Portugal atingem os 88% na defesa desse registo obrigatório.

“Estes números traduzem a necessidade de clarificação da situação Portuguesa relativamente á atividade do Lobbying. Uma atividade que, efetivamente, se move num cenário totalmente desregulado que importa ultrapassar através de um esforço de transparência já atingido na maior parte dos países da Europa ”, explica Salvador da Cunha, Presidente da Lift Consulting, que acrescenta: Num processo de lobbying, legalmente enquadrado, o poder político sabe exatamente quem são os seus interlocutores, quais os interesses que representam e quais as suas pretensões. Este facto determina uma maior transparência na adoção de políticas públicas e na sua compreensão por parte dos cidadãos’.

A pouca relevância dos social media

Entre as conclusões do estudo encontra-se uma em particular, que refere que as Associações de Comércio são consideradas como as lobistas mais eficazes (62%), seguidas pelas organizações profissionais e pelas ONGs. Verificaram-se, todavia, algumas diferenças significativas de apreciação conforme os países: por exemplo, na Alemanha, as ONGs e as agências de Relações Públicas são vistas como as mais eficazes – com 78% e 71%, respetivamente.

Os órgãos de notícias especializadas, os sites governamentais, os sites científicos e os sites de media tradicional foram considerados os recursos online mais úteis. Surpreendentemente, os social media tenderam a ser vistos como pouco úteis para assuntos relacionados com trabalho. De resto, quase metade dos inquiridos nunca usa o Twitter para mensagens de trabalho e apenas um quinto recorre ao Facebook diariamente por motivos profissionais. Os sites de associações das várias indústrias, empresas e ONGs costumam ser visitados pelo menos uma vez por semana por cerca de 40% das pessoas inquiridas no estudo.

Entre outras conclusões do inquérito Europeu, destacam-se as seguintes:

 

Notas para o editor:

Este é o quinto estudo da Burson-Marsteller sobre lobbying, mas este documento expande a cobertura dos anteriores a 20 países europeus e inclui Bruxelas no enfoque das instituições da União Europeia. Esta edição acolhe o maior número de respostas até agora, com 600 entrevistas que ficaram a cargo de empresas locais. Os resultados foram depois analisados pela  empresa de estudos de opinião Penn, Schoen & Berland (PSB) a pedido da Burson-Marsteller, entre janeiro e abril de 2013. As entrevistas envolveram uma série base de 23 perguntas que tiveram como objetivo a identificação das perceções sobre o lobbying e os lobistas entre as elites políticas. Estas questões foram feitas online ou através de telefone a políticos (membros dos vários Parlamentos Nacionais e membros do Parlamento Europeu) e a representantes de topo de governos e de instituições Europeias. Em Portugal foram inquiridos cerca de duas dezenas de políticos a exercerem funções decisórias na Assembleia da Republica e no Governo.

A Lift Consulting é uma consultora estratégica de gestão fundada em 1993 especialmente vocacionada para as áreas da Comunicação, Gestão de Reputação, Relações Públicas e Assessoria de Imprensa. A Lift tem 19 anos de experiência no setor e conseguiu desenvolver com enorme sucesso dez áreas de prática em vários setores. Entre os seus clientes contam-se algumas das mais respeitadas empresas Nacionais e Internacionais. Exclusive Affiliate da Burson-Marsteller em Portugal, hoje em dia a Lift é uma das principais consultoras portuguesas independentes na área da comunicação.

A Penn, Schoen & Berland Associates (www.psbresearch.com), membro do WPP grupo e parte da Burson-Marsteller, é uma empresa global de pesquisa e consultadoria especializada em estratégias de mensagens e de comunicação para clientes de topo nas áreas da política, do universo empresarial e de entretenimento. A PSB tem mais de 30 anos de experiência e de trabalho especializado na implementação das lições retiradas de campanhas eleitorais em órgãos diretivos das empresas, para dar aos clientes as perspetivas estratégicas de que precisam para vencer a concorrência. A PSB trabalhou em quase 200 campanhas políticas e foi conselheira pessoal política e estratégica de mais de 30 chefes de Estado ou primeiros-ministros

Para mais informações, contactar, por favor:

João Reis (joão.reis@lift.com.pt) Tel. – 91 865 52 29