vBulletin statistics

Quinta-Feira, 11 de Abril de 2013

Estudo realizado pela easyJet revela que mais de metade dos portugueses vai viajar menos em 2013

• 58,7% possui um orçamento de viagem inferior ao de anos anteriores • 45,2% respondeu estar mais atento a promoções e descontos

Com o objetivo de compreender melhor como os portugueses estão a lidar com a crise, especialmente no que diz respeito a viagens, a easyJet, segunda maior companhia aérea em Portugal e a maior rede europeia de transportes aéreos, realizou um inquérito que revelou que os portugueses estão a alterar os seus hábitos de viagem com a crise.

No que diz respeito ao orçamento disponível para viagens durante o ano de 2013 a crise levou a que os portugueses reduzissem o orçamento familiar para as viagens. Mais de metade da amostra (58,7%) respondeu possuir um orçamento de viagem inferior ao que tinha em anos anteriores e cerca de um quinto (21,6%) afirmou que este valor se manterá inalterado.

De destacar que da análise do orçamento disponível para viagens em 2013 se conclui que um maior número de indivíduos do género feminino afirma que o orçamento será menor ou inexistente para este ano e o género masculino dá maior peso a um orçamento igual ou superior ao do ano anterior para o ano de 2013. O peso das respostas “maior que o dos anos anteriores” vai diminuindo à medida que a aumenta a idade dos inquiridos, enquanto o inverso se regista na redução de orçamento disponível para viajar em 2013.

Quando os inquiridos são confrontados diretamente com a forma como a crise está a afetar os hábitos de viagem, quase metade dos inquiridos (45,2%) respondeu estar, atualmente, mais atento a promoções e descontos, enquanto 17,4% optam por fazer menos férias, demonstrando uma intenção de contenção de gastos. Para 7,8% da amostra admitem mesmo ter deixado de fazer férias e apenas 6,1% afirmam não ter alterado os seus hábitos em função da crise económica.

Fazendo a análise ao modo como os hábitos de viagem alteraram com a crise por género pode-se verificar que as maiores diferenças referem-se ao facto do género feminino deixou de fazer férias enquanto o género masculino admite fazer férias mais curtas.

Este inquérito permite revelar um retrato atual dos hábitos de viagem dos portugueses face à crise e apesar da atual situação económica em que o país se encontra verifica-se que cerca de metade dos portugueses inquiridos (47,3%) tem por hábito viajar uma vez por ano, mais de um terço (28,7%) viaja duas ou mais vezes por ano e apenas 16% afirma não viajar.